Nos últimos 2 ou 3 anos temos visto muita movimentação em torno do assunto Mídia Programática, porém mesmo o enorme crescimento ano a ano muitos anunciantes ainda tem uma visão negativa deste tipo de compra. Em 2016 vimos uma curva de investimento ainda mais acentuada na compra automatizada de mídia digital, mesmo não sendo algo fácil de ser dito, a crise política e econômica pela qual nosso país tem passado foi benéfica para a área.
 
O maior envolvimento dos grande publishers brasileiros, a evolução das empresas especializadas na compra de Mídia Programática e a criação de áreas com foco no assunto dentro das grandes agências trouxe uma nova visão ao mercado, um amadurecimento que fez marcas migrarem investimentos da compra tradicional via PI para compra através de plataformas automatizadas.
 
Neste cenário os últimos meses transformaram o mercado de Digital, período em que formatos de grande impacto tradicionalmente comprados via PI 100%, passassem a ganhar força também quando comercializados de forma Programática. Grandes anunciantes e os principais veículos digitais colocaram a automatização de compra e venda de mídia à prova.
 
Um ótimo exemplo são os resultados que a NewBlue vem atingindo com um de seus clientes, mostrando que Mídia Programática aliada a uma Estrutura de Dados bem elaborada traz bons resultados e esses dois pilares juntos geram métricas nunca antes vistas com as compras tradicionais do meio digital.
 
Desde o final de 2016 as primeiras negociações no modelo Programático Garantido para veiculação de Diárias na Homepage do portal MSN, o número de entregas mensais como essa só tem crescido e o objetivo é sempre buscar o “100% via Programmatic”.
 
Os resultados foram acima do esperado com crescimento de mais de 130% nos leads e acima de 65% nos pedidos. Desta forma, a máxima de que as taxas de plataforma, dados e verificação, afetam negativamente o budget do anunciante, caiu por terra mostrando um CPA médio de metade dos valores visto anteriormente nas compras tradicionais.
 
Não podemos deixar de ressaltar o quanto o trabalho de estruturação de dados é importante para alcançar resultados tão expressivos, a NewBlue conta que foram dois anos trabalhando na organização das bases de dados para uma visão clara de grupo, mapeando todas as propriedades das marcas em uma única DMP e incluindo informações First Party.
 
O potencial que as máquinas nos trazem hoje em dia para compra de mídia digital é até um pouco difícil de se definir de tão amplo, mas é importante que os anunciantes tenham em vista que há a necessidade de realizar esta transição da forma correta, com parceiros especializados nas diversas áreas.